Nutrição 

NUTRIÇÃO

 

A nutrição da plantas é autotrófica, as plantas fabricam a matéria orgânica que lhes servem de alimento. Para isso utilizam gás carbônico proveniente do ar, água e sais minerais retirados do solo.

 

Nutrição orgânica – Fotossíntese

 

Nutrição inorgânica

Quando falamos de nutrição inorgânica, na verdade estamos nos referindo à absorção dos nutrientes minerais essenciais para um bom desenvolvimento vegetal. Esses nutrientes existem no substrato em que planta vive (solo, água e, eventualmente, meio aéreo) e a sua absorção é realizada principalmente pelas raízes. Muitas vezes, as folhas também executam esse papel. A absorção radicular é efetuada a partir da zona pilífera, região na qual a superfície de absorção é aumentada pela existência dos pelos absorventes.

 

Quando um nutriente é utilizado em grande quantidade por um vegetal, ele é considerado um macronutriente. Se for utilizado em pequena quantidade, é considerado um micronutriente. Esses termos não se relacionam com o tamanho do nutriente, e sim com a quantidade em que são utilizados.
Entre os micronutrientes, pode ser citado o manganês, o cobre, o zinco e o ferro.

Entre os macronutrientes, pode ser citado o nitrogênio, potássio, enxofre, potássio, magnésio e cálcio.
 

Elementos essenciais, suas funções e sintomas de deficiência

 

Nitrogênio (N)


- Componente essencial do protoplasma e de enzimas.

 

A deficiência de nitrogênio rapidamente inibe o crescimento vegetal. Caso esta deficiência persista, a maioria das espécies apresenta um quadro de clorose, que é o amarelamento das folhas. Sob severa deficiência de nitrogênio, estas folhas tornam-se completamente amarelas ou castanhas, e depois caem. Isso ocorre principalmente nas folhas mais antigas, folhas mais jovens podem não mostrar inicialmente tais sintomas, assim, uma planta deficiente de nitrogênio pode ter folhas superiores verde-claras e folhas inferiores amarelas ou castanhas.

 

 

Enxofre (S)


- Componente do protoplasma e enzimas


Muitos dos sintomas da deficiência de enxofre são similares aos da deficiência de nitrogênio, incluindo clorose, redução do crescimento e acúmulo de antocianinas. Tal similaridade deve-se a que ambos são constituíntes de proteínas. Entretanto, a clorose causada pela deficiência de enxofre aparece, em geral, inicialmente em folhas jovens e maduras, em vez de folhas velhas. No entanto, em muitas espécies vegetais, a clorose por falta de enxofre pode ocorrer simultaneamente em todas as folhas ou até mesmo iniciar em folhas velhas.

 

 Fósforo (F)


- Metabolismo basal
 
- Síntese (fosforilação)

 

Os sintomas característicos da deficiência de fósforo incluem o crescimento reduzido em plantas jovens e uma coloração verde escura das folhas, as quais podem encontrar-se malformadas e conter pequenas manchas de tecido morto (manchas necróticas). Da mesma que na deficiência de nitrogênio, algumas espécies podem produzir antocianina em excesso, conferindo as folhas uma coloração levemente arroxeada. Em comparação com a deficiência de nitrogênio, a coloração púrpura gerada pela deficiência de fósforo não está associada a clorose, podendo as folhas, apresentar uma coloração roxa fortemente esverdeade. Sintomas adicionais incluem a produção
de caules delgado e a morte das folhas mais velhas. A maturação da planta também poderá ser retardada.

 

Potássio (K)


- Efeito coloidal (promove hidratação)
 
- Sinergismo com: NH4+, Na+
 
- Antagonismo com: Ca++
 
- Ativação de enzimas (fotossíntese, nitrato-redutase)
 
- Osmorregulação (estômatos)

 

Os primeiros sintomas vísíveis da deficiência de potássio é a clorose em manchas ou marginal, evoluíndo para a necrose, principalmente nos ápices foliares, margens e entre nervuras, estendendo-se posteriormente em direção à base. Como o potássio pode ser remobilizado para as folhas mais jovens, esses sintomas aparecem inicialmente nas folhas mais maduras da base da planta. As folhas podem curvar-se e o caule deficiente em potássio é delgado e fraco,


apresentando regiões internodais anormalmente curtas, acarretando o tombamento do indivíduo.

 

 Magnésio (Mg)


- Regulação da hidratação
- Metabolismo basal (fotossíntese, transferência de fosfatos)
 
- Sinergismo com: Mn, Zn.

 

Um dos sintomas característicos da deficiência de magnésio é a clorose entre as nervuras foliares, ocorrendo primeiro nas folhas mais velhas devido a mobilidade deste elemento dentro do vegetal.. Se a deficiência é muito grande, as folhas tornam-se amarelas ou brancas. Um sintoma

 

Cálcio (Ca)


- Regulação da hidratação (antagonismo com: Ca+, Mg++)
 
- Ativador de enzimas (amilase, ATPase)
 
- Regulador do crescimento em extensão basal

 

Sintomas característicos da deficiência de cálcio incluem a necrose das regiões meristemáticas jovens, como os ápices radiculares ou folhas jovens. A necrose em plantas de lento crescimento pode ser precedida por uma clorose generalizada e um curvamento, para baixo, das folhas. As folhas jovens podem parecem também deformadas. O sistema radicular de uma planta deficiente em cálcio pode apresentar-se acastanhado, curto e altamente ramificado. Pode haver redução severa no crescimento se as regiões meristemáticas da planta morrerem prematuramente.

 

Cloro (Cl)

- Efeito coloidal (aumenta a hidratação) 
- Ativação de enzimas (fotossíntese)

Plantas deficientes em cloro desenvolvem murcha dos ápices foliares, seguida por clorose e necrose generalizadas. As folhas podem exibir crescimento reduzido, eventualmente assumindo uma coloração bronzeada "bronzeamento". Os íons cloretossão muito solúveis e geralmente disponíveis no solo porque a água do mar é carregada para o ar pela evaporação e transportada pelo vento e distribuída pelo solo quando chove. Portanto, a deficiência de cloro é desconhecida
nas plantas que crescem em habitat nativos ou agrícolas.

 

 

Boro (B)

 
- Transporte e metabolismo de carboidratos
 
- Metabolismo do fenol
 
- Ativação de reguladores do crescimento (crescimento de tubos polínicos)

 

Um sintoma característico da deficiência de boro é a necrose preta de folhas jovens e gemas terminais, ocorrendo nas folhas, principalmente na base da lâmina foliar. Os caules ficam anormalmente rígidos e quebradiços. A dominância apical pode ser perdida, tornando a planta altamente ramificada,tornando os ápices terminais necróticos devido a inibição da divisão celular. Podem apresentar anormalidades relacionadas a desintegração de tecidos internos.

 


Ferro (Fe)

- Metabolismo basal (reações redox) 
- Metabolismo do N
 
- Sínteses da clorofila

O sintoma característico é a clorose internervura. Ao contrário dos sintomas da deficiência de magnésio, no caso do ferro, tais sintomas aparecem inicialmente nas folhas mais jovens porque o ferro não pode ser prontamente mobilizado nas folhas mais velhas. Sob condições de deficiência extrema ou prolongada, as nervuras podem tornar-se cloróticas também, fazendo com que toda a folha torne-se branca.

                                                         

Manganês (Mn)

- Metabolismo basal (oxidases, fotossíntese, transferência de fosfatos) 
- Estabiliza a estrutura dos cloroplastos
 
- Metabolismo do N
 
- Síntese do ácido nucléico
 
- Sinergismo com Mg, Zn

Os sintomas associados a esta deficiência são a clorose internervura associada ao desenvolvimento de pequenas manchas necróticas, podendo ocorrer em folhas jovens ou maduras, dependendo das espécie vegetal e da taxa de crescimento

 

Cobre (Cu)

 

- Metabolismo basal (fotossíntese, oxidases) 
- Metabolismo do N
 
- Metabolismo secundário

 

O sintoma inicial de sua deficiência é a produção de folhas verdes escuras, que podem conter manchas necróticas. As manchas necróticas aparecem primeiro nos ápices das folhas jovens e então estender-se em direção a base da folha, ao longo das margens. As folhas podem também ficar retorcidas ou malformadas. Sob deficiência extrema, as folhas podem cair prematuramente.

 Zinco (Zn)


- Formação de clorofila
 
- Ativador de enzimas
 
- Metabolismo basal (desidrogenases)
 
- Degradação de proteínas
 
- Biossíntese de reguladores de crescimento (AIA)

 

A deficiência de zinco é caracterizada pela redução do crescimento internodal e, como resultado, o crescimento rosetado apresentado pela planta, no qual as folhas um agrupamento circular que se irradia do substrato ou próximo do mesmo. As folhas podem apresentar-se pequenas e retorcidas, com margens de aparência enrugada. Em algumas espécies as folhas mais velhas podem apresentar clorose internervuras e consequentemente desenvolver manchas necróticas brancas.

 

Molibdênio (Mo)


- Fixação do nitrogênio
- Metabolismo do ferro
- Absorção e translocação de ferro


O primeiro indicativo desta deficiência é a clorose generalizada entre as nervuras e a necrose das folhas mais velhas.. Em algumas espécies, pode não existir a necrose, mas as folhas podem tornar-se retorcidas e morrer. Existe a possibilidade que a formação de flores seja inibida ou as flores podem cair prematuramente.

 

 Níquel (Ni)


- Componente da urease (mobilização do N durante a germinação)
 
- Catalisa a hidrólise da uréia em NH3+ + CO2

 

Plantas deficientes em níquel acumulam uréia em suas folhas e, em consequência, apresentam necrose nos ápices foliares.

 

Classificação quanto a função bioquímica:

- Nutrientes que fazem parte de compostos de carbono (N e S): O primeiro grupo de elementos essenciais é formado pelos compostos orgânicos das plantas, assimilando-os por meio de reações bioquímicas envolvendo oxidações e reduções.

-Nutrientes que são importantes no armazenamento de energia e na integridade estrutural (P, Si e B): Os elementos deste grupo encontram-se comumente presentes nos tecidos vegetais sob a forma de fosfato, borato e ésteres silicato, em que o grupo elementar está ligado ao grupo hidroxila de uma molécula orgânica.

-Nutrientes que permanecem dentro do vegetal em sua forma iônica (K, Ca, Mg, Cl, Mn e Na): Presentes nos tecidos vegetais na forma de íons livres ou ligados a substâncias tais como ácidos pépticos, presentes na parede celular do vegetal. De especial importância são seus papéis como cofatores enzimáticos na regulação dos potenciais osmóticos.

 -Nutrientes que estão envolvidos em reações redox (Fe, Zn, Cu, Ni, Mo):
Os elementos deste grupo desempenham importantes funções em reações envolvendo transporte de elétron

Nutrição mixotrófica

É a nutrição autotrófica e heterotrófica, é realizada por alguns seres vivos, como as plantas carnívoras, que realizam fotossíntese e se alimentam de pequenos animais.

Planta Carnívora


 

http://www.aquahobby.com/articles/b_nutricao_vegetal.php

http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Morfofisiologia_vegetal/morfovegetal37.php

http://www.brasilescola.com/biologia/nutricao-das-plantas.htm